Ocorreu um erro neste gadget

O Deus esquecido

Mais um livro apaixonante de confrontador do escritor Fracis Chan.
Uma forma simplesmente profunda e profundamente simples de falar sobre o Espírito Santo. Uma forma bíblica, que não limita o Espírito a uma força ou a apenas moveres pentecostais, mas que fala que quem tem o Espírito de Deus tem o próprio Pai e Filho o guiando, o que muitas veses é esquecido, mas que deveria fazer toda a diferença na vida de um cristão.
É o Espírito Santo que deve trazer diferença as pessoas, é Ele que gera frutos, é Ele que deve nos guiar, Ele está disposto...mas nós estamos dispostos a sermos guiados de acordo com as suas vontades??
"O fato é que Deus está chamando. O Espírito Santo está sinalizando. A verdadeira questão é o seguinte: você está pronto para seguí-lo?Saberá ouvir a voz de Deus? Sei que, quanto a mim, preferiria ter mais uma opção quando Deus me pedisse a fazer alguma coisa. Dessa maneira, se eu não gostasse de A ou B, haveria sempre as opções C e D. Às veses, é claro, é justamente dessa maneira que o Espírito nos orienta. Pode haver duas opções igualmente boas aos que Deus nos ofereceu para que escolhamos uma delas.
No entanto, não é assim que o Espírito Santo costuma agir. Ele nos convoca para fazer alguma coisa em particular, e temos duas alternativas: obedecer ou não. O mais assustador é que, ao não me submeter e confiar totalmente no Espírito Santo, estou deixando de me submeter e de confiar totalmente em DEUS, e isso não épouca coisa.
todos nós temos que responder está pergunta: 'Será que quero guiar o Espírito Santo ou der guiado por ele?'
Foi Deus quem levou você ao lugar que está hoje? Muita gente em minha igreja e que encontro em minhas viagens fala o seguinte: ' Acredito que Deus me chamou para a Califórnia'. Ou para Nova York. Ou para São Paulo. OU para qualquer outro lugar. POde até ser mesmo o caso.Mas também é possível que seja apenas uma descupa para morar em um luagar do qual você gosta. Tem um bom emprego. Sua vizinhança é segura, tem boas escolas. Sua família mora perto (ou longe, dependendo do tipo de relacionamento que você mantém com ela). Faz sentido você se sentir "chamado" para viver ali, certo?
Ou é possível mesmo que você seja chamado para morar onde mora. Mas, se você disser que tem esse chamado, precisa levar em consideração algumas perguntas. Por exemplo, qual a falta que faria se morasse em outro lugar? O que mudaria? Basicamente, que diferença sua presença faz onde você mora hoje? Ou então, como meu pastor de jovens me perguntou certza vez, como ficaria sua igreja (e a igreja como corpo de Cristo) se todas as pessoas tivessem o mesmo grau de comprometimento que você tem? Se todo mundo doasse, servisse e orasse exatamente como você, será que a igreja seria mais saudável e cheia de poder? Ou seria uma congregação de cristãos fracos e apáticos?"
Francis Chan

0 comentários:

Postar um comentário