Ocorreu um erro neste gadget

Tomando Decisões segundo a Vontade de Deus

     Depois de tanto tempo sem escrever aqui venho compartilhar um pouco de quanto tenho aprendido com a leitura do ultimo livro. Tenho tido muito o que compartilhar mas o tempo é pouco..
Mas achei de extrema importância compartilhar um mínimo de algumas coisas práticas que tem me confrontado com o Livro: "Tomando decisões Segundo a Vontade de Deus".


O livro gira em torno do grande assunto que tornamos um enigma: A Vontade de Deus para minha vida!! Ele nos da diretrizes para agir nas áreas onde não podemos ou devemos nos agarrar em profecias ou revelações, e nem temos respostas claras na bíblia. Quando um assunto tem a ver com o que a palavra não dá uma diretriz clara a os conselheiros divergem quanto a que decisões devemos tomar. O que fazer?!?


Esse post não tem a intenção de resumir o livro pois suas reflexões são de extrema importância e eu não tiraria nenhuma página sequer, mas os pontos que eu listo abaixo são aqueles práticos que eu pretendo carregar para toda a vida e que aconselho a todos os meus amigos cristãos a meditarem neles, tais perguntas são apenas ilustrações e como aplicar a palavra em assuntos diferentes tirando fundamentos básicos.

    "A primeira pergunta que podemos levantar deve ser, é lícito? (1 Co 6:12; 10;23). Paulo proibira aos coríntios a participação em festivais religiosos pagãos, onde o crente se faria participante da idolatria (1 Co 10: 14-22). Qualquer decisão precisa, primeiramente, passar pelo crivo da moralidade. Se algo é lícito, imoral, então não pode ser uma opção viável para os cristãos. Lembro-me de ouvir cristãos empolgados por trabalhar nos EUA, que se iludiam (ou apenas se faziam de ingênuos) com o fato de terem recebido visto por 10 anos. Acontece que o visto era válido apenas para múltiplas viagens curtas no prazo de 10 anos, não para permanência contínua. Portanto, era ilícito permanecer no país com o fim de levantar recursos financeiros, por mais nobre que fosse a causa. (ex: ajudar a família).

    A segunda pergunta deve ser é benéfico para mim? Isto é, mesmo sendo lícito, convém? Edifica? (1 Co 6:12; 10:23). Há certas coisas que não são erradas, mas que não edificam. Lembro-me de um amigo pastor que fazia o seu mestrado nos EUA, e se destacava a tal ponto, que seus professores e eu também o encorajávamos a prosseguir os seus estudos, indo para o doutorado. Sua resposta me impactou profundamente. Ele decidiu voltar para o Brasil logo após o término do mestrado porque sentia muita falta de pastorear uma igreja local. Meu amigo entendera que aquilo que edifica tem prioridade sobre a oportunidade 'imperdível'.

    A terceira pergunta deve ser é escravizante? (1 Co 6:12b). Qualquer coisa lícita que venha a nos escravizar (trabalho, estudo, família) toma o lugar de Deus. É muito comum presenciar brasileiros que apostam suas vidas no sonho americano, e acabam se tornando escravos do trabalho. Tinham jornadas muito mais longas do que qualquer emprego no Brasil e não tinham tempo para uma vida tranquila. O lícito se tornara escravizante.

    A quarta pergunta extraída das passagens deve ser é útil para as outras pessoas? (1 Co 10:24, 28-29, 32-33). Paulo estava explicando que não pecava aquele que comia carne sacrificada a ídolo, mas cuja consciência não o acusava (1 Co 10:25,26). Se, porém, estivesse diante de pessoas para as quais comer seria causa de tropeço, então não deveria fazê-lo. Presenciei muitos alunos internacionais deixando esposas e filhos para trás, com o propósito de obterem uma grau de escola americana conceituada. Tal atitude não poderia ser considerada meramente "cultural", como se fosse neutra. Afinal, o apóstolo proíbe o delongado afastamento de marido e mulher (1 Co 7:5). Portanto, a decisão de estudar nos EUA só seria correta, se fosse abençoadora para as pessoas ao nosso redor.

    A quinta e última pergunta seria Glorifica ao Senhor? (1 Co 10:31). Essa pergunta, aparentemente genérica, ensina-nos a colocar as nossas motivações no devido lugar. Será que tomamos tal decisões porque honra ao Senhor? Lembro-me com muita alegria de conhecer pessoas que estavam buscando o seu grau no exterior, com a disposição de serem enviados para outra nação quando terminassem; queriam ser missionários na área da educação teológica. Isto é, não buscavam prestígio, mas ferramentas de serviço. E queriam estar aonde fossem últeis."

    Que o nosso alvo como Cristão seja glorificar ao Senhor em cada decisão, e entender que nem sempre um anjo vai descer do céu e nos dá uma resposta correta do que fazer, mas a palavra de Deus e a sabedoria alcançada através do Espírito Santo deve nos guiar para o caminho mais correto.

Jaqueline Graziela

2013 o ano de Ensinamentos

   


    Ok, esse post era pra ter sido feito no dia 31, mas a correria desses dias não me permitiram parar pra colocar todas as idéias em dia, então mesmo atrasada eu resolvi fazer isso hoje.
2013 não foi um ano de muitas escritas, nem mesmo de tantas leituras.. mas de muita vivência, e poxa, como elas me ensinaram mais do que qualquer coisa.

    Então vou tentar voltar mais a ativa aqui começando com uma série de coisas que aprendi no ano que se foi. São coisas pessoais que cada momento me ensinou, algumas bem bestas mas outras que eu gostaria muito que você refletisse sobre, pois foram momentos muito difíceis que me ensinaram.
Tentei escrever coisas específicas de 2013, então para não divagar sobre tantos outros momentos segui minha agenda registros. Que de alguma forma você seja edificado (a).

  • Aprendi que não devo criar muitas expectativas sobre um ano, que eu sempre crio expectativas muito altas (isso também se encaixa a pessoas e eventos);
  • Aprendi que alguns jovens reformados juntos podem até não conseguir reformar Natal, mas essa união reforma muitas coisas dentro deles mesmos;
  • Aprendi que eu nunca vou ter todos os livros que gostaria, nem mesmo tempo para ler todos os que tenho (principalmente indo a uma feira de livro igual a da Vinacc todo ano);
  • Aprendi que mesmo cursando algo que vc não suporta mais, a sensação de tê-lo perdido por negligência é muito ruim, mas que Deus é tão misericordioso que lhe concede uma nova chance;
  • Aprendi que 12 dias convivendo com missionários no interior do Rio Grande do Norte pode lhe fazer uma pessoa mais aventureira e divertida; que você não precisa saber inglês fluentemente para se tornar super amiga, irmã e confidente de uma texana que também não fala português fluentemente;
  • Aprendi que não adianta insistir para ensinar coisas as pessoas que não querem aprender;
  • Que quando Deus diz que chegou ao fim um período sobre sua vida, lutar contra isso é ser infrutífero e só se frustrar;
  • Aprendi que um líder direcionado por Deus vai entender cada decisão sua, mesmo aquela que poderá lhe levar pra completamente distante dele, mas irá confiar na direção de Deus;
  • Aprendi que participar de ministérios de focos totalmente diferentes irá fazer MUITO bem para seu equilíbrio teológico (considerando que esses sejam corretos biblicamente);
  • Que a sua concepção do que seria uma boa igreja só irá se comprovar quando você conviver com seus membros;
  • Aprendi que mesmo não sendo saudável de berço, algumas mudanças alimentares são necessárias quando você está doente constantemente;
  • Aprendi que não se deve insistir para ser presente na vida de alguém mesmo que você a ame muito, só se deve pedir a Deus para lembrá-la que quando ela precisar terá alguém que possa contar;
  • Aprendi que amizades de verdade vão além de curtidas e declarações de facebook, algumas delas marcam a sua vida lhe visitando inesperadamente quando você está doente;
  • Que eu não devo prometer coisas extraordinárias as pessoas, nem mesmo acreditar quando elas me prometem;
  • Aprendi que outros amigos podem sair da sua vida como um pó que escorre da sua mão a qualquer movimento brusco, mesmo que eles nunca saiam do seu coração e isso lhe deixe algumas vezes bem triste;
  • Aprendi que eu amo fazer planejamentos, mas sou um fiasco em cumprí-los;
  • Aprendi que se você tem uma amiga legal no estado vizinho e você decide passar tempo com ela você poderá ganhar tantos outros amigos tão legais que mesmo a distância você vai querer guardar pra sempre;
  • Aprendi que uma "simples" aula de bijuteria em uma comunidade carente pode fazer uma revolução na sua vida espiritual;
  • Aprendi que viver na dependência de Deus a aventura mais louca e mais maravilhosa que existe;
  • Que você pode escolher qualquer renda para se sustentar, mas quem lhe sustenta de verdade é Ele, que o básico nunca irá lhe faltar, e que muitas vezes Ele lhe dará até presentes supérfluos, que isso é Graça e que a melhor forma de gratidão e recebê-los e glorificá-Lo nelas;
  • Aprendi que se você tem irmãos em um lugar e ganha de presente um pastor bíblico, ali é o melhor lugar onde você poderia estar;
  • Aprendi que no ultimo evento do ano Deus lhe surpreende lhe aproximando de umas e lhe apresentando outras amizades que são verdadeiros presentes de Natal;

    Que Deus continua sendo bem presente mesmo que por muitas vezes por querer torná-lo um objeto de estudo eu tenha me distanciado Dele; que Ele continua me surpreendendo mais mesmo quando acho que já vi tanta coisa nessa caminhada Cristã; E que até mesmo quando você diz pra todo mundo que a virada de ano lhe traz pensamentos tristes é esse Deus que lhe traz o renovo da esperança..


E que esse seja o sentimento para 2014!!
Que cada aprendizado meu possa servir para você repensar sobre seus próprios aprendizados!!
E que possamos agradecer a Deus juntos, até mesmo pelos momentos de maiores crises, pois com certeza são eles que mais nos ensinam!!

Feliz 2014!!!