Ocorreu um erro neste gadget

Qual a sua resposta ao Mestre??

Ser um discípulo de Jesus não é algo fácil, ouvimos falar muito de chamado mas poucas pessoas realmente entendem seu papel de seguir a Cristo e as implicações em obedecer suas ordens. No evangelho de Lucas, cap. 9, dos versos 57 ao 62, vemos Jesus colocando a prova os que queriam segui-Lo, em uma narrativa rápida é apresentada 3 tipos de desejosos que podemos até classifica-los de forma mais simplista, o empolgado, o cauteloso e o enraizado.
O primeiro moço foi nomeado de empolgado pelo fato de como a narrativa é exposta. Sem nenhum fato alarmante ou um chamado específico, ele toma a iniciativa pelo simples fato de ver Jesus passar: “Seguir-te-ei para onde quer que fores”. Ele não tinha nenhuma informação a mais nem sobre Jesus nem sobre o que significava o seguir, Jesus dá um pouco dessa informação de uma forma que pode ter sido considerado um balde de água fria, o aviso foi real e desanimador, ele estava se oferecendo a seguir alguém que não teria nem onde reclinar a cabeça, alguém que não teria o mínimo de conforto e nenhuma segurança de moradia, será que ele estava disposto a fazer isso? Não sabemos a consequência que aquela informação trouxe ao homem, o relato continua com a história do próximo homem e nos deixa na dúvida de que destino tomou o primeiro, continuou ele firme no propósito ou desistiu diante das dificuldades?
Já o segundo candidato a seguidor é mais cauteloso, podemos chamar de cuidadoso e até prevenido, dessa vez é Jesus que faz o convite de segui-Lo e a resposta vem com uma exultação: “deixa-me primeiro sepultar meu pai”. O pedido parecia justo, compreensível, mas Jesus sabia o que realmente se passava no coração do candidato e mais uma vez trouxe uma reposta que parecia dura demais, “deixe que os mortos sepultem seus próprios mortos”, como assim? Como alguém morto pode fazer sepultamento? O que podemos perceber é que na verdade o pai daquele homem nem tivesse morrido ainda, ele estava pedindo a Jesus tempo o suficiente para garantir a partida do pai e toda a herança que ela poderia lhe garantir, ele talvez tivesse ouvido a primeira resposta do mestre e gostaria de garantir sua segurança ao seguir, ele poderia até ir, mas tendo algo mais firme em que se apoiar. O desafio de Cristo é que essa preocupação não é digna de um seguidor seu, não há argumentos nobres suficientes quando nosso desejo é adiar um chamado, a morte do seu pai talvez fosse a garantia de segurança e normalidade de sua vida, Cristo tenta dizer que deixe os que continuem naquela vida que cuidem daquela vida, que Ele o chamava para viver algo além, anunciar o Reino de Deus e isso tinha urgência.
O terceiro homem talvez também tivesse escutando todo aquele diálogo e pensando em que resposta dar quando chegasse a sua vez, ele também quis ser nobre e garantir que O seguiria, mas queria também mais um tempo, um tempo provavelmente bem menor do que o do segundo, ele queria somente despedir dos da sua casa, era pouca gente e não iria demorar tanto. Podemos identifica-lo como o enraizado, sua causa era muito justa pois talvez mostrasse preocupação com quem ele amava, mas mais uma vez Cristo identifica o centro da desculpa, o homem deveria ser apegado a sua casa ao ponto de Jesus o alertar sobre o fato de retroceder no caminho, o aviso tinha sido feito, nada foi mencionado sobre sua despedida mas aquelas palavras do mestre provavelmente atingiram a raiz do problema, os familiares estariam exercendo tamanha influência na vida do homem que provavelmente seria um empecilho na caminhada, se essas raízes não fossem cortadas ele não seria apto em ser um seguidor de Cristo.

Diante desses relatos somos levados a nos identificar que desculpas e empecilhos temos tido em seguir o mestre. O chamado é nobre e ao contrário do primeiro homem devemos pensar constantemente e conhecer tanto o mestre como o caminho a ser traçado para que não façamos promessas que não poderemos cumprir, essas reflexões não são para nos atemorizar, mas para nos dar ainda mais confiança na certeza aonde estamos indo. Devemos deixar pra traz também qualquer coisa que deva adiar a nossa partida, por mais nobres que sejam a garantia de buscar segurança nas nossas próprias forças e nas coisas que essa vida possa dar, é uma afronta Àquele que nos chama para algo tão digno como proclamar o seu Reino, a resposta pode parecer dura mais é real, deixemos os cidadãos dessa terra se envolvam com as coisas próprias dela, nós temos algo mais urgente a tratar. Por último que olhemos para o futuro que nos espera, que aprendamos a nos desraigar das coisas que ainda nos prende e arrebata o nosso coração, por mais nobre que elas sejam só seremos aptos a trabalhar para a grande Seara quando ela for a nossa maior riqueza.

Mudança de Liz e Em Liz..

     Na promessa que tentarei reativar o blog esse ano, (nem q seja pra compartilhar textos dos outros), vou começar com um texto que descreve tanto meu momento atual, uma linda homenagem de um amigo que eu quero guardar pra toda vida, então nada melhor que arquivá-lo no meu blog.

Os sentimentos do momento..

"É amanhã! Pensava Liz.
É amanhã que sonhos irão se realizar, que tudo irá mudar, falta pouco.
A mente de Liz viajava a mil por hora, ela pensava em tudo o que estava acontecendo. Não era fácil para Liz nunca foi. Liz vinha de muitos momentos que quebraram seu coração, e ao mesmo tempo de muitos momentos que fizeram seu coração saltar de alegria, porem era hora de mudança e como qualquer um sabe mudanças nunca serão tão fáceis mas era tudo que Liz mais sonhava naquele momento.
As vezes Liz olhava para tudo que ela tinha vivido, e como parecia que tinha convergido para o momento decisivo na sua vida, não o momento final mas como o momento inicial daquilo que ela vinha sonhando fazia tempo.
Mudanças nunca são fáceis. Mudar exige de nós abandonar certos hábitos, deixar para trás alguns amigos que nos marcaram profundamente, deixar certos hábitos e costumes. Mudanças as vezes envolve engoli um pouco do orgulho e tomar decisões de imediato, pois se pensar um pouco a pessoa já pensa em desistir.
Se mudar envolve um misto de medo e prazer, raiva e alegria, coragem e covardia, perder o chão e ao mesmo tempo finalmente acha-lo, mudar nunca vai ser fácil, mas ao mesmo tempo nos perguntamos “como eu não fiz isso antes?”
Liz e sua alma estava em um misto de sentimentos e emoções, se sentindo abandonada por quem ela não esperava e apoiada por quem ela esperava menos ainda. Liz soltou muitas lagrimas, sua alma não cooperou e chorou também mas quanto mais perto vai chegando do amanhã mais Liz deseja navegar no barco, como uma peregrina sem tempo e data para voltar. Talvez amanhã, talvez daqui a anos, mas o que Liz realmente sabe e nós não, é que voltar é algo para nunca mais! 
Liz e sua alma estão peregrinando com rumo certo aos sonhos certos daquele que é dono do vento e do mar."

Onrigada amigo Arthur Sena, por escrever tudo que queria e não sabia como no momento!!

Tomando Decisões segundo a Vontade de Deus

     Depois de tanto tempo sem escrever aqui venho compartilhar um pouco de quanto tenho aprendido com a leitura do ultimo livro. Tenho tido muito o que compartilhar mas o tempo é pouco..
Mas achei de extrema importância compartilhar um mínimo de algumas coisas práticas que tem me confrontado com o Livro: "Tomando decisões Segundo a Vontade de Deus".


O livro gira em torno do grande assunto que tornamos um enigma: A Vontade de Deus para minha vida!! Ele nos da diretrizes para agir nas áreas onde não podemos ou devemos nos agarrar em profecias ou revelações, e nem temos respostas claras na bíblia. Quando um assunto tem a ver com o que a palavra não dá uma diretriz clara a os conselheiros divergem quanto a que decisões devemos tomar. O que fazer?!?


Esse post não tem a intenção de resumir o livro pois suas reflexões são de extrema importância e eu não tiraria nenhuma página sequer, mas os pontos que eu listo abaixo são aqueles práticos que eu pretendo carregar para toda a vida e que aconselho a todos os meus amigos cristãos a meditarem neles, tais perguntas são apenas ilustrações e como aplicar a palavra em assuntos diferentes tirando fundamentos básicos.

    "A primeira pergunta que podemos levantar deve ser, é lícito? (1 Co 6:12; 10;23). Paulo proibira aos coríntios a participação em festivais religiosos pagãos, onde o crente se faria participante da idolatria (1 Co 10: 14-22). Qualquer decisão precisa, primeiramente, passar pelo crivo da moralidade. Se algo é lícito, imoral, então não pode ser uma opção viável para os cristãos. Lembro-me de ouvir cristãos empolgados por trabalhar nos EUA, que se iludiam (ou apenas se faziam de ingênuos) com o fato de terem recebido visto por 10 anos. Acontece que o visto era válido apenas para múltiplas viagens curtas no prazo de 10 anos, não para permanência contínua. Portanto, era ilícito permanecer no país com o fim de levantar recursos financeiros, por mais nobre que fosse a causa. (ex: ajudar a família).

    A segunda pergunta deve ser é benéfico para mim? Isto é, mesmo sendo lícito, convém? Edifica? (1 Co 6:12; 10:23). Há certas coisas que não são erradas, mas que não edificam. Lembro-me de um amigo pastor que fazia o seu mestrado nos EUA, e se destacava a tal ponto, que seus professores e eu também o encorajávamos a prosseguir os seus estudos, indo para o doutorado. Sua resposta me impactou profundamente. Ele decidiu voltar para o Brasil logo após o término do mestrado porque sentia muita falta de pastorear uma igreja local. Meu amigo entendera que aquilo que edifica tem prioridade sobre a oportunidade 'imperdível'.

    A terceira pergunta deve ser é escravizante? (1 Co 6:12b). Qualquer coisa lícita que venha a nos escravizar (trabalho, estudo, família) toma o lugar de Deus. É muito comum presenciar brasileiros que apostam suas vidas no sonho americano, e acabam se tornando escravos do trabalho. Tinham jornadas muito mais longas do que qualquer emprego no Brasil e não tinham tempo para uma vida tranquila. O lícito se tornara escravizante.

    A quarta pergunta extraída das passagens deve ser é útil para as outras pessoas? (1 Co 10:24, 28-29, 32-33). Paulo estava explicando que não pecava aquele que comia carne sacrificada a ídolo, mas cuja consciência não o acusava (1 Co 10:25,26). Se, porém, estivesse diante de pessoas para as quais comer seria causa de tropeço, então não deveria fazê-lo. Presenciei muitos alunos internacionais deixando esposas e filhos para trás, com o propósito de obterem uma grau de escola americana conceituada. Tal atitude não poderia ser considerada meramente "cultural", como se fosse neutra. Afinal, o apóstolo proíbe o delongado afastamento de marido e mulher (1 Co 7:5). Portanto, a decisão de estudar nos EUA só seria correta, se fosse abençoadora para as pessoas ao nosso redor.

    A quinta e última pergunta seria Glorifica ao Senhor? (1 Co 10:31). Essa pergunta, aparentemente genérica, ensina-nos a colocar as nossas motivações no devido lugar. Será que tomamos tal decisões porque honra ao Senhor? Lembro-me com muita alegria de conhecer pessoas que estavam buscando o seu grau no exterior, com a disposição de serem enviados para outra nação quando terminassem; queriam ser missionários na área da educação teológica. Isto é, não buscavam prestígio, mas ferramentas de serviço. E queriam estar aonde fossem últeis."

    Que o nosso alvo como Cristão seja glorificar ao Senhor em cada decisão, e entender que nem sempre um anjo vai descer do céu e nos dá uma resposta correta do que fazer, mas a palavra de Deus e a sabedoria alcançada através do Espírito Santo deve nos guiar para o caminho mais correto.

Jaqueline Graziela

2013 o ano de Ensinamentos

   


    Ok, esse post era pra ter sido feito no dia 31, mas a correria desses dias não me permitiram parar pra colocar todas as idéias em dia, então mesmo atrasada eu resolvi fazer isso hoje.
2013 não foi um ano de muitas escritas, nem mesmo de tantas leituras.. mas de muita vivência, e poxa, como elas me ensinaram mais do que qualquer coisa.

    Então vou tentar voltar mais a ativa aqui começando com uma série de coisas que aprendi no ano que se foi. São coisas pessoais que cada momento me ensinou, algumas bem bestas mas outras que eu gostaria muito que você refletisse sobre, pois foram momentos muito difíceis que me ensinaram.
Tentei escrever coisas específicas de 2013, então para não divagar sobre tantos outros momentos segui minha agenda registros. Que de alguma forma você seja edificado (a).

  • Aprendi que não devo criar muitas expectativas sobre um ano, que eu sempre crio expectativas muito altas (isso também se encaixa a pessoas e eventos);
  • Aprendi que alguns jovens reformados juntos podem até não conseguir reformar Natal, mas essa união reforma muitas coisas dentro deles mesmos;
  • Aprendi que eu nunca vou ter todos os livros que gostaria, nem mesmo tempo para ler todos os que tenho (principalmente indo a uma feira de livro igual a da Vinacc todo ano);
  • Aprendi que mesmo cursando algo que vc não suporta mais, a sensação de tê-lo perdido por negligência é muito ruim, mas que Deus é tão misericordioso que lhe concede uma nova chance;
  • Aprendi que 12 dias convivendo com missionários no interior do Rio Grande do Norte pode lhe fazer uma pessoa mais aventureira e divertida; que você não precisa saber inglês fluentemente para se tornar super amiga, irmã e confidente de uma texana que também não fala português fluentemente;
  • Aprendi que não adianta insistir para ensinar coisas as pessoas que não querem aprender;
  • Que quando Deus diz que chegou ao fim um período sobre sua vida, lutar contra isso é ser infrutífero e só se frustrar;
  • Aprendi que um líder direcionado por Deus vai entender cada decisão sua, mesmo aquela que poderá lhe levar pra completamente distante dele, mas irá confiar na direção de Deus;
  • Aprendi que participar de ministérios de focos totalmente diferentes irá fazer MUITO bem para seu equilíbrio teológico (considerando que esses sejam corretos biblicamente);
  • Que a sua concepção do que seria uma boa igreja só irá se comprovar quando você conviver com seus membros;
  • Aprendi que mesmo não sendo saudável de berço, algumas mudanças alimentares são necessárias quando você está doente constantemente;
  • Aprendi que não se deve insistir para ser presente na vida de alguém mesmo que você a ame muito, só se deve pedir a Deus para lembrá-la que quando ela precisar terá alguém que possa contar;
  • Aprendi que amizades de verdade vão além de curtidas e declarações de facebook, algumas delas marcam a sua vida lhe visitando inesperadamente quando você está doente;
  • Que eu não devo prometer coisas extraordinárias as pessoas, nem mesmo acreditar quando elas me prometem;
  • Aprendi que outros amigos podem sair da sua vida como um pó que escorre da sua mão a qualquer movimento brusco, mesmo que eles nunca saiam do seu coração e isso lhe deixe algumas vezes bem triste;
  • Aprendi que eu amo fazer planejamentos, mas sou um fiasco em cumprí-los;
  • Aprendi que se você tem uma amiga legal no estado vizinho e você decide passar tempo com ela você poderá ganhar tantos outros amigos tão legais que mesmo a distância você vai querer guardar pra sempre;
  • Aprendi que uma "simples" aula de bijuteria em uma comunidade carente pode fazer uma revolução na sua vida espiritual;
  • Aprendi que viver na dependência de Deus a aventura mais louca e mais maravilhosa que existe;
  • Que você pode escolher qualquer renda para se sustentar, mas quem lhe sustenta de verdade é Ele, que o básico nunca irá lhe faltar, e que muitas vezes Ele lhe dará até presentes supérfluos, que isso é Graça e que a melhor forma de gratidão e recebê-los e glorificá-Lo nelas;
  • Aprendi que se você tem irmãos em um lugar e ganha de presente um pastor bíblico, ali é o melhor lugar onde você poderia estar;
  • Aprendi que no ultimo evento do ano Deus lhe surpreende lhe aproximando de umas e lhe apresentando outras amizades que são verdadeiros presentes de Natal;

    Que Deus continua sendo bem presente mesmo que por muitas vezes por querer torná-lo um objeto de estudo eu tenha me distanciado Dele; que Ele continua me surpreendendo mais mesmo quando acho que já vi tanta coisa nessa caminhada Cristã; E que até mesmo quando você diz pra todo mundo que a virada de ano lhe traz pensamentos tristes é esse Deus que lhe traz o renovo da esperança..


E que esse seja o sentimento para 2014!!
Que cada aprendizado meu possa servir para você repensar sobre seus próprios aprendizados!!
E que possamos agradecer a Deus juntos, até mesmo pelos momentos de maiores crises, pois com certeza são eles que mais nos ensinam!!

Feliz 2014!!!

José e seu Pai




"Certa vez José decidiu dar uma festa! Afinal, o quinquagésimo aniversário do seu Pai estava chegando.
José não era um cara que gastava muito tempo sentado ao lado da cama de seu pai trocando figurinhas, conversando com os botões, falando do tempo ou apenas destilando gracejos. Pra falar a verdade, José não sabia direito o que fazer. Decidiu, então, imaginar qual seria a festa que lhe agradaria mais! Balões aos milhares, música muito alta, vários tipos de comida, bebidas a se perder de vista, mágicos, palhaços... Ninguém botaria defeito. Mas e se os convidados não gostassem tanto? Ora, que tipo de festa é essa que os convidados não são agradados ao extremo? Portanto, José decidiu pôr um pouco de cada. Já não importava mais tanto o que ele queria pra si, mas, também, o que os outros queriam. Assim, tinha comida doce e salgada, música alta e baixa, rápida e lenta. Mágico sério e engraçado. Palhaço mudo, falante e gritante. Depois de muito pensar, finalmente, todos os detalhes estavam acertados!
Nada faltou! Ninguém ficou de fora! Horas e mais horas de alegrias imensas! Muitos discursos emocionados, tudo muito frenético em determinadas horas, sereno e melancólico em outras. Todos os convidados saíram extasiados! Claro, cada qual tinha sua parte desgostosa da noite, mas seu gosto particular, uma vez atendido, gerou motivo suficiente pra garantir que no quinquagésimo primeiro ano, todos estariam de volta! José, inclusive, já começava a fazer contatos pra aumentar cada vez mais o número de convidados e a pompa! Tudo isso pra poder agradar seu pai. Ora, seu pai? De repente lhe ocorreu que não o vira em nenhum momento da festa! Onde ele estava quando o balão de sorvete estourou jorrando sabores diversos pra quem quisesse? Ou quando os golfinhos saltaram sobre os arcos em chamas? Depois de a poeira baixa, o barulho cessado e a casa vazia, José pôde contemplar seu pai sentado num canto. Quieto. Resignado. Não tinha o ar de alegria e êxtase que todos os outros. Que diabos era aquilo? Era simplesmente impossível imaginar que José não fizera a melhor festa do mundo! Todas as pessoas o tinham como um filho excelente. Não. José resolveu não pensar. Se seu pai não gostara de algo, o problema era dele. Simplesmente, não tem como alguém não ficar satisfeito com isso tudo. Do bom e do melhor! E pra sobrar.
Naquela noite José deitou se sentindo maravilhado! Afagava no peito a certeza de ser um filho maravilhoso. Todos os tapas nas costas, todos os sorrisos e brindes lhe davam a certeza de que seu pai, na verdade, tinha sorte de ter um filho tão dedicado. Com certeza... Não, com certeza ABSOLUTA ele conquistou todos os direitos de um filho ideal. Ah, que sorte do seu pai!
O pai de José foi dormir também. Mas feliz por aquela noite finalmente ter acabado."

Eu não quero entrar no mérito de explicar essa parábola, eu espero que o Espírito lhe traga a revelação de quantos cristãos e igrejas tem se comportado como José, agradando a todos menos o Pai.
E eu ainda vou mais longe, acredito que aqueles que querem agradar a todos acabam não agradando ninguém. Os seres humanos sempre estão em busca da sua auto-satisfação, e nessa busca desenfreada acabamos passando por cima até mesmo das diretrizes da palavra. Pra mim esse texto é uma exortação a todos nós, esteja você se identificando como José ou como os personagens da festa!!

Texto de um amigo querido que se intitulou C.H.S


O Evangelho das Boas Novas

"Porque não me envergonho do evangelho, pois é o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê; primeiro do judeu, e também do grego." Rm 1:16

O Evangelho e somente o Evangelho, nada mais que o Evangelho!!

"Trazer a memória áquilo que lhe traz esperança"... Com certeza lembrar do Evangelho de Cristo é a maior prova disso, como precisamos lembrar disso. Cada dia mais os que se dizem cristãos tem vivido uma vida vazia de satisfação e confiança Nele, eu não os culpo, eu me identifico com cada um.
As mazelas do mundo em que vivemos, os sofrimentos que nos atingem, as dificuldades de nos manter santos, de viver em comunidade, de amar e ser amado.. enfim, são desafios que nos afastam de viver essa falada 'plenitude cristã'.
Começamos a nossa busca, um emprego, um companheiro (a), uma carreira, bons amigos, dinheiro, família estruturada, auto-estima, etc, etc, etc.. quanto mais buscamos mais temos a necessidade de que falta algo. O mundo procura por isso, essa mensagem é para Cristãos e não Cristãos. "O EVANGELHO É PODER DE DEUS!",  O Evangelho de Deus (1 Ts 1:8/ 1 Tm 1:11/ 2 Co 4:4) e o Evangelho da Salvação (Ef 1:13).
Cada dia mais tenho tido a experiência de voltar ao lugar da alegria quando sou simplesmente lembrada de quem eu era e quem Cristo me tornou... haaaahh como isso me traz esperança!!

Talvez estejamos vivendo um cristianismo doentio principalmente no Brasil pelo fato de nos esquecermos de pregar As Boas Novas. Precisamos pregar o Evangelho e não auto ajuda, o Evangelho e não bons costumes, o Evangelho e não psicologia, o Evangelho e não o amor e a graça barata, o Evangelho e não riquezas e recompensas, o Evangelho e não bons conselhos, o Evangelho uma cartilha de regras, nem mesmo quão grande deve ser a sua fé, mas o que o Evangelho fez e faz por você. 

"Porque primeiramente vos entreguei o que também recebi: que Cristo morreu por nossos pecados, segundo as Escrituras, E que foi sepultado, e que ressuscitou ao terceiro dia, segundo as Escrituras." 1 Co15:3,4

Quando Paulo pregava o evangelho ele sempre trazia a memória essas verdades, Cristo. 
Tenho insistido nesse assunto aqui no blog mas é que tenho identificado pregadores que pregam tudo menos As Boas Novas da Salvação, e isso gera Cristãos que se alegram com tudo, menos com As Boas Novas da Salvação. "Abandonaram a única fonte inesgotável e fizeram para si cisternas rotas" (Jr 2:13).

Termino esse post com um Clamor:
Ministros, tragam a memória a única coisa que pode realmente nos trazer esperança de um dia melhor: O Evangelho da salvação!
Irmãos, lembremos sempre do único tesouro que não pode nos ser roubado e nos alegremos Nele: O Evangelho da Salvação!

Com um coração ardente por mudança, mas cheio de gratidão por estar sempre sendo lembrada disso,
Jaqueline Graziela


Cristo é o Centro

Quando falamos em pregar a bíblia e o evangelho, conhecemo-os suficiente para oferecê-los aos outros??


Preste atenção nessa comparação:

Você sabia que em Londres os candidatos a motorista de Taxi passam aproximadamente 3 anos estudando para se tornarem um? Isso mesmo, se você vai a Londres, constantemente irá enxergar muitos motoristas acompanhados de algumas motos que os "fiscalizam". Eles passam todo esse tempo estudando a cidade, descobrindo cada caminho, seus pontos turísticos e perigos e os melhores e menores caminhos para ir de um ponto a outro. Depois desse tempo de preparação eles passam por um teste que consiste da seguinte forma: É dado dois pontos da cidade e durante um tempo eles precisam dizer quanto tempo leva de um ponto a outro, qual o melhor caminho e quais os pontos importantes nesse caminho, apenas 30% dos candidatos são aprovados.
O governo de Londres entende que se é papel de uma pessoa mostrar a cidade e conduzir pessoas ela tem que saber isso muito bem.

Mas você me pergunta, o que os taxistas de Londres têm a ver com a bíblia? 
Testemunhar o Evangelho é procurar o melhor caminho para chegar até o centro: Cristo

Quando Cristo subiu aos céus Ele nos deu uma missão:

"E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura." Marcos 16:15
Se a nossa missão é pregar o Evangelho devemos saber fazer isso muito bem.
Mas o problema é que não nos dedicamos nem um pouco perto dos candidatos a taxistas. O evangelho trata de Cristo (Rm 1:16), a bíblia trata de Cristo, o Pai apontou para Cristo (Mt 17;5), o fim da Lei é Cristo (Rm 10:4) e o Espírito Santo testifica de Dele (1 Jo 5:6). Mas muitas vezes nós 'entramos no carro, passamos muito tempo rodeando a cidade' e não chegamos ao destino final: Cristo!

Precisamos entender que o Centro da bíblia é Cristo,e com isso lembrar que o centro da nossa pregação e evangelismo deve ser Ele. Você já parou pra pensar que Jesus é revelado de Gênesis a Apocalipse?? 
Quantos cristãos continuam achando que a bíblia se trata de vários livros e que o velho testamente são livros de história e moral. Não! A bíblia tem uma história só: A redenção através de Cristo! Deus não mudou seu plano através da história, O Cordeiro foi morto antes da fundação do mundo (Ap 13:8) e é essa história que precisamos apresentar aos perdidos.
Por favor não continue pregando sobre você ou como a palavra nos ensina a ser pessoas melhores ou o que Deus quer que façamos (isso é importante, mas depois que entendermos o que Ele fez).

Apresente aos 'visitantes da cidade' o maior 'ponto turístico' e suas maravilhas: CRISTO!

"Em Gênesis Jesus é o Cordeiro no altar de Abraão

Em Êxodo é o cordeiro da Páscoa
Em Levítico ele é o sumo sacerdote
Em Números ele é a nuvem durante o dia e a coluna de fogo durante a noite
Em Deuteronômio ele é a cidade de nosso refúgio
Em Josué, ele é o tecido vermelho na janela de Raabe
Em Juízes ele é o nosso Juiz
Em Ruth ele é o nosso parente redentor
Em I e II Samuel ele é o nosso profeta confiável
Nos livros de Reis e Crônicas é o nosso soberano
Em Esdras ele é o nosso escriba fiel
Em Neemias é o reconstrutor de tudo que está destruído
Em Ester ele é Mordecai assentado fielmente no portão
Em Jô ele é o nosso redentor que vive para sempre
Em Salmos ele é o meu pastor e nada me faltará
Em Provérbios e Eclesiastes ele é nossa sabedoria 
Em Cantares ele é o belo noivo
Em Isaias ele é o servo sofredor
Em Jeremias e Lamentações Jesus é o profeta que chora
Em Ezequiel ele é o maravilhoso homem de quatro faces
Em Daniel ele é o quarto homem na fornalha
Em Oséias ele é o amor sempre fiel
Em Joel ele nos batiza com o Espírito Santo e com fogo
Em Amós ele leva nossos fardos 
Em Obadias nosso salvador
Em Jonas ele é o grande missionário que leva ao mundo a palavra de Deus 
Em Miquéias ele é o mensageiro dos pés formosos
Em Naum ele é o vingador 
Em Habacuque ele é a sentinela orando sempre pelo reavivamento
Em Sofonias ele é o Senhor poderoso para salvar
Em Ageu ele é o restaurador de nossa herança perdida
Em Zacarias é a nossa fonte
Em Malaquias ele é o filho da justiça com a cura em suas asas.
Em Mateus ele é o Cristo o filho do Deus vivo
Em Marcos ele é o operador de milagres
Em Lucas ele é o filho do homem
Em João ele é a porta pela qual todos devem passar
Em Atos é a luz brilhante que aparece a Saulo no caminho de Damasco
Em Romanos é a nossa justificação
Em Coríntios é nossa ressurreição e o que leva os nossos pecados
Em Gálatas ele nos redime da lei
Em Efésios ele é nossa riqueza insondável
Em Filipenses ele supre todas as nossas necessidades 
Em Colossenses ele é a plenitude do Deus encarnado
Em Tessalonicenses ele é o nosso Rei que virá
Em Timóteo ele é o nosso mediador entre Deus e os homens
Em Tito ele é nossa bendita esperança
Em Filemon ele é o amigo mais chegado que um irmão
Em Hebreus ele é o sangue do pacto eterno
Em Tiago ele é o Senhor que cura o doente
Em Pedro ele é o pastor principal
Nos livros de João é Jesus que tem a ternura do amor
Em Judas ele é o Senhor que vem com milhares de santos
E em Apocalipse, a igreja é conclamada a levantar os olhos, pois é chegada sua redenção
Jesus é o Rei dos reis e o Senhor dos senhores."

ALELUIA

Jaqueline Graziela
Texto baseado na palavra: Cristo no Centro

Os Desígnios do coração

Eu quero fazer as coisas certas. Eu quero fazer as coisas certas pelas razões certas. Na verdade, eu quero fazer as melhores coisas para as melhores razões, as coisas mais elevadas pelas mais elevadas razões. Às vezes eu sei que eu faço isso. Às vezes, eu sei que não faço. Na maioria das vezes eu não sei muito bem o que estou fazendo.

Muitas vezes eu não sei porque eu faço o que faço, pelo menos não as razões mais profundas. Eu vejo o desejo de glorificar a Deus, mas quando olho mais profundamente, eu também vejo o desejo de glorificar a mim mesmo. Ou às vezes vejo o desejo de ser conhecido, percebido ou notado publicamente, mas analisando mais profundamente, vejo um desejo genuíno de agradar a Deus também. O coração humano é complicado e dissimulado. Muitas vezes irritante.

Não é complicado para Deus, é claro. “Todo caminho do homem é reto aos seus próprios olhos, mas o SENHOR sonda os corações”. O Senhor vê não só o que faço, mas porque eu faço. Ele não fica nem um pouco confuso em relação a isso. O provérbio é verdadeiro, é claro, mas como acontece com todos os provérbios, sua aplicabilidade não é universal. Por vezes o caminho deste homem não é reto aos seus próprios olhos, e às vezes o caminho é opaco. Há tantas vezes que eu simplesmente não sei por que faço o que faço. É para mim ou é para Deus? Quanto é para mim e quanto é para Deus?

Às vezes eu falo isso com Deus. “Tu dizes para fazer isso, então eu vou fazê-lo. Mas tu também dizes para fazê-lo altruisticamente e discretamente, e eu não acho que os meus motivos aqui são completamente puros. Acho que quero ser notado e apreciado por fazê-lo . Então eu só vou em frente e farei, porque eu acredito que tu assim desejas e eu acredito que é o certo a se fazer. E eu vou confiar em ti para usá-lo para o bem. E eu vou pedir-te que me perdoe agora mesmo por qualquer parte de mim deseja ser glorificado por isso”.

Eu acredito que essa é uma oração que Deus ouve e atenta. Eu preciso acreditar nisso. E eu preciso acreditar que Deus se agrada, até se regozija, na parte de mim que, qual seja o seu tamanho, genuinamente quer passar despercebido para que ele possa ser visto, conhecido e glorificado.

Pois quem me julga é o Senhor. Portanto, nada julgueis antes do tempo, até que venha o Senhor, o qual não somente trará à plena luz as coisas ocultas das trevas, mas também manifestará os desígnios dos corações; e, então, cada um receberá o seu louvor da parte de Deus (1 Coríntios 4.4-5).


Por: TIM CHALLIES
FONTE: Iprodigo